topo

Postado em 19 de Outubro às 15h11

Mensageiro Seguro 970

Institucional (20)
Certa Corretora de Seguros e Certificação Digital - Chapecó/SC DPVAT – Grandes grupos financeiros lucram com indenizações congeladas há 11 anos O seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos...

DPVAT – Grandes grupos financeiros lucram com indenizações congeladas há 11 anos

O seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres) foi criado em 1974, por meio da Lei nº 6.194, em substituição ao Recovat (Responsabilidade Civil Obrigatória de Veículos Automotores Terrestres), instituído em 1966, através do Decreto-Lei nº 73. As indenizações, por sua vez, eram vinculadas ao salário mínimo. A partir de 2007, com a centralização do Seguro Obrigatório na Seguradora Líder, o valor das indenizações perdeu o vínculo com o salário mínimo e passou a ter um valor fixo, expresso em reais.
A grande diferença entre os dois seguros é que o DPVAT é um seguro de cunho social, pago independente da culpa do motorista. Já o Recovat era um seguro de responsabilidade civil no trânsito, pago apenas aos segurados com atestado de culpa. Assim como acontece nos países desenvolvidos. Outro ponto que difere os seguros é que o Recovat era um modelo de comercialização de livre escolha, intermediado por corretores e o DPVAT é administrado por uma única seguradora na qualidade de líder, que, através de um espúrio acordo de acionistas, explora a sociedade em função do monopólio.
Para Paulo Nery, corretor de seguros desde a época do Recovat, os valores das indenizações do DPVAT estão ultrapassados. “Naquela época os ressarcimentos eram de 40 salários mínimos para morte e invalidez permanente e de oito salários mínimos para DAMS (reembolso de despesas médicas e hospitalares)”, conta. Caso o valor das indenizações fosse atualizado, com base no salário mínimo atual (R$ 954,00), os ressarcimentos para morte ou invalidez permanente seriam de R$ 38.160,00 e para DAMS seria de R$ 7.632,00.
Porém, o que vemos desde 2007 são valores que não são corrigidos sequer pela inflação do País. Atualmente, a Seguradora Líder paga R$ 13.500,00 para os casos de morte/invalidez permanente e – apenas – R$ 2.700,00 em casos de ressarcimentos de despesas médicas. Valores esses congelados há 11 anos, gerando lucros para as grandes instituições financeiras. No entanto, a administradora do consórcio arrecadou, apenas em 2017, quase R$ 6 bilhões. Desse valor, a metade foi destinado para custear as despesas do funcionamento do DPVAT, de acordo com a Líder. O que, convenhamos, é um absurdo!
Em meio às eleições, a Seguradora Líder divulgou que enviou para os candidatos à presidência da República um relatório com dados recentes do Seguro DPVAT e uma proposta de aperfeiçoamento do atual modelo de gestão. O que seria mais do mesmo. Entre as sugestões está a alteração do valor máximo de indenização para R$ 25 mil.
Contudo, cabe ressaltar que os valores pagos pelo Seguro Obrigatório estão sofrendo redução. Deste modo, como a Líder pretende pagar a conta? Repassando os gastos para a população. Tal proposta tem o – estranho - aval da CNseg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização) e da FenSeg (Federação Nacional de Seguros Gerais), instituições que, com a Seguradora Líder, defendem o monopólio e o cartório.
A operação Tempo de Despertar, da PF (Polícia Federal), investiga desde 2015 as fraudes e desvios de valores vinculados ao Seguro Obrigatório. Valores esses que deveriam ser destinados às vítimas de acidentes de trânsito. Nos últimos anos houve o reajuste de mais de 60% (para veículos de passeio) dos valores do DPVAT.
Hoje, além das investigações da PF, o TCU (Tribunal De Contas da União) também trabalha com o objetivo de apurar responsabilidades, cobrar os recursos desviados e devolver o excedente de mais de R$ 4 bilhões, que foi cobrado indevidamente de todos que pagam o seguro de forma obrigatória. O que só cabível em países que permitem a corrupção e, por conseguinte, a impunidade. Fonte: Informativo Gente Seguradora

Autogestão na vida pessoal

A autogestão é uma habilidade muito importante para garantir a inteligência emocional, autonomia e organização necessárias para alcançarmos o nosso potencial. É um processo constante que direciona mudanças de comportamentos necessárias para que o sucesso e satisfação sejam alcançados. A pessoa que aplica esse método na vida pessoal é capaz de conhecer os seus limites e alcances, potencializando as suas características positivas e criando métodos para a superação das características negativas.
De acordo com o master coach e fundador da Febracis, Paulo Vieira, a autogestão não está restrita apenas ao ambiente profissional, mas também deve ser aplicada no âmbito pessoal. "Quando um indivíduo agrega essa habilidade em sua vida pessoal, consegue gerir de maneira mais satisfatória o seu tempo para tirar o maior proveito dele, conseguindo equilibrar a vida pessoal, profissional e seus momentos de lazer de forma leve e duradoura", avalia.
Mas como aplicar a autogestão no dia a dia? De acordo com o fundador da Febracis (maior instituição de coaching das Américas) existem alguns passos necessários para maximizar o próprio potencial:
Reflita: uma das tarefas mais importantes para ter autogestão pessoal é dedicar um tempo para a reflexão. Reflita sobre você, seu trabalho, a sua vida e tudo que está ao seu redor. Se por acaso você perceber que não está feliz com as suas decisões, não se desespere: esse é o primeiro passo para promover a mudança na sua vida. "Esse deve ser um processo contínuo. Devemos sempre dedicar um tempo para refletir sobre a vida, e, assim, traçar objetivos e atitudes necessárias para chegar aonde é desejado", avalia Vieira.
Conheça a si mesmo: conhecer a si mesmo é um processo de aprendizagem que depende tanto da reflexão, quanto da atenção. Além disso, conhecer a si mesmo permite que você: saiba equilibrar as horas de sono necessárias para acordar bem-disposto; reconheça ruídos nos diálogos interpessoais; identifique reações emocionais problemáticas; e obtenha inteligência emocional.
Assuma responsabilidades: esse é o primeiro passo para realizar uma tarefa, conhecer a si mesmo e combater a procrastinação. Seja responsável pelo o que precisa ser feito e se organize para completar as tarefas. Isso é autogestão pessoal, autonomia. Se errar, assuma os seus erros, aceite e tome consciência do que deve ser feito diferente na próxima ocasião.
Aprenda a conviver e a cooperar: saber se relacionar e viver em sociedade é tão importante quanto conhecer a si mesmo. Aliás, quando conhecemos a nós mesmos também estamos elevando o nosso quoeficiente emocional, afinal, podemos trabalhar as nossas reações e emoções negativas. Dessa forma, entendemos não só os nossos limites e potencialidades, mas também os dos outros. E é essencial para um convívio adequado e equilibrado.
Fonte: SEGS.com.br

Alterações climáticas podem gerar “riscos mais severos”
para bancos e seguradoras


O Banco de Inglaterra (BoE), prevê que os riscos associados às alterações climáticas sejam dos mais severos a atingir o sector financeiro. Como tal, aconselha os bancos e seguradoras de que devem se preparar para os riscos que as alterações climáticas representam para a respectiva atividade.
Os riscos que poderão vir a afetar o setor financeiro são descritos como “de longo alcance” tanto na “magnitude” como “amplitude”, acrescentando que podem adquirir dimensões maiores que outros tipos de risco.
Posto isto, a posição do banco central inglês é que as instituições precisam de lidar com os “riscos imediatos” e os desafios impostos pela transição para uma economia de baixas emissões de carbono.
Entre as recomendações da instituição liderada por Mark Carney está a nomeação de responsáveis para lidar com o assunto das alterações climáticas, que deverão identificar, medir, gerir e reportar a exposição a estas mudanças, para além de considerar de que forma cenários mais específicos dentro do tema poderiam afetar o negócio. Impõe-se uma “abordagem apropriada” para divulgar estes tipos de riscos com frequência.
O alerta chega num momento em que os desastres naturais têm afetado com seriedade variadas economias. Na semana passada, o furacão Michael atingiu com severidade o México e o sul dos Estados Unidos. No último fim de semana, Portugal viu o furacão Leslie fazer estragos sobretudo no centro do país, levando ao encerramento de unidades de produção de empresas com atividade na região, como é o caso da Navigator. Fonte: Segs


Dúvidas quanto ao seguro celular

Os consumidores brasileiros estão investindo cada vez mais em proteções para eletrônicos, principalmente para aparelhos celulares, uma vez que não querem correr o risco de perder o investimento no bem, caso ocorra roubo ou furto. No entanto, seguro para celular ainda é menos comum no Brasil do que o de automóvel, por exemplo. É por isso que muitos consumidores têm dúvidas, principalmente relacionadas às coberturas.
Conforme Helena Alves, gerente de Canal Digital da BemMaisSeguro (BMS), as principais dúvidas do consumidor estão relacionadas às coberturas e carência. Ao adquirir o seguro, o usuário possui, em geral, 30 dias de carência, período no qual a seguradora não se responsabiliza pela indenização em casos de danos.
Com relação às coberturas, as duas principais que o mercado segurador oferece são: roubo, que é quando há o uso de violência; e furto qualificado mediante arrombamento, que se dá na hipótese de rompimento ou quebra de obstáculo para pegar o bem. Isso significa que furto simples não é coberto pelas seguradoras. Ou seja, se o celular for subtraído de mochila, mala, bolsa e bolso de roupa ou esquecido em locais como mesas de bares e restaurantes, não é possível realizar a indenização. Fonte: Segs

Saúde
Saia do Sedentarismo

O sedentarismo está na lista dos principais fatores de risco que prejudicam a sua saúde. Um estudo recente (Lancet Glob Health. 2018, Sep 4), somando mais de 1,9 milhões de indivíduos entrevistados, mostrou que o Brasil tem o quinto pior índice de sedentarismo do mundo! Especialmente entre as mulheres. É normal que com a correria do dia a dia as pessoas sintam-se desmotivadas para começar a praticar uma atividade física. Entretanto, os benefícios do exercício físico vão além da disposição física. Melhor qualidade de sono, maior controle do estresse, redução do risco de doenças cardiovasculares, menor risco de câncer e melhor qualidade de vida são alguns dos muitos benefícios proporcionados pelo exercício.
A melhor atividade física é aquela que efetivamente é feita! A melhor atividade física é aquela que traz o benefício do exercício com algum nível de prazer e diversão, convidando assim a ser feita novamente. Para a saúde do coração tanto faz se você está dançando, caminhando, nadando ou pedalando. Mas se o objetivo não é apenas saúde e sim alguma meta estética ou desempenho esportivo, a orientação de um educador físico é fundamental para alcançar os objetivos.
Muitas pessoas procuram fazer atividade física para perder peso. Neste caso é importante saber que, especialmente para os sedentários que vão começar a prática esportiva, que o pequeno gasto calórico da atividade física pode ser facilmente anulado com excessos na alimentação. Isto é, não é efetivo “correr atrás do garfo”! Para perder peso a atividade física deve estar alinhada com um trabalho de reeducação alimentar. Fonte: Hospital Albert Einstein

Orientação segura
Super vendedores sabem se colocar no lugar dos clientes
Vendedores de alto desempenho sabem se colocar no lugar do cliente e imaginar exatamente como gostariam de ser atendidos. Então, dão o seu melhor no atendimento e busca de soluções aos seus clientes. Costumam ser mais negociadores do que vendedores, valorizando vantagens e benefícios e não o preço. Esse estado de entender o cliente é a empatia que se estabelece, não apenas por afinidade, mas pela convicção de que o entendimento do outro é o melhor caminho para uma venda bem-sucedida.
Para incrementar o desempenho em vendas, o profissional deve acima de tudo procurar entender o consumidor ou cliente potencial. Se o seu grande desejo na hora de comprar é que um vendedor busque o entendimento das suas necessidades antes de lhe fazer qualquer oferta ou recomendação, pratique o mesmo posicionamento com os seus clientes. Se você deseja honestidade na informação e que o vendedor lhe ajuda a tomar uma excelente decisão de compra, haja da mesma forma com os seus clientes. Se alguma vez você desejou que o vendedor lhe apresentasse pleno domínio das vantagens e desvantagens do produto ou serviço que lhe estava vendendo, assim como o de outros concorrentes, então faça de forma verdadeira e sincera o mesmo com o que você vende e então com o seu cliente.
Uma das maiores preciosidades em vendas é o componente emocional. Os grandes profissionais de vendas interessam-se muito pelos seus clientes e demonstram isso a todo instante. Da mesma forma, eles alimentam grande interesse pelas necessidades próprias, pela empresa onde trabalham, pelos produtos e serviços que vendem e pelo segmento em que atuam. Acima de tudo, possuem grande interesse em ajudar os clientes a tomarem uma boa decisão na hora de comprar. Experimente lembrar rapidamente de profissionais de vendas de alto desempenho e analise o grau de interesse dele nas atividades do dia a dia.
Relembre alguns dos seus melhores clientes, suas atitudes e nível de relacionamento com você e invariavelmente perceberá que você se interessa muito por eles e eles se interessam por você. Agora, tente imaginar vendedores de quem você já comprou algo ou fez algum tipo de negócio e perceberá que eles se interessam mais por você do que aqueles de quem você não acabou comprando. Em todos os momentos da vida profissional, você irá encontrar pessoas brilhantes que possuem o interesse como a característica mais marcante da personalidade.
Os profissionais de vendas de alto nível posicionam-se como consultores. Eles preocupam-se em fazer com que os clientes os vejam como conselheiros, mentores e amigos. Tornam-se emocionalmente envolvidos nas transações e sempre convictos de que o seu produto ou serviço é a solução ideal para as necessidades reais dos clientes potenciais com quem estão negociando. Eles são capazes de se diferenciar de todos os seus concorrentes sendo mais preocupados em ajudar prospects do que propriamente vender produtos ou serviços. O grande profissional de vendas terá conquistado definitivamente os clientes quando eles perceberem que o vendedor se preocupa mais com eles do que propriamente com a conquista de mais uma venda. Fonte: Segs

Ação positiva
"Pense duas vezes antes de não dizer nada." Lawrence J. Peter

Veja também

Mensageiro Seguro 954 23/08 O quanto as escolhas afetam nossas vidas?                   Na vida a gente não consegue fugir das escolhas. Se eu lhe dissesse: “Fulano, escolha”. E, você me respondesse: “Eu, não quero escolher”. Assim mesmo você teria feito uma escolha, não é verdade? Não......
Mensageiro Seguro 95723/08 Por que os “ultrajovens” ainda vão destruir o país                   Há alguns dias, a revista Época publicou uma......
Mensageiro Seguro 97309/11 A importância de um seguro Nos últimos anos, ter um seguro se tornou quase um item de primeira necessidade. Na tentativa de amenizar prejuízos, muitas pessoas recorrem aos serviços de seguros e consequentemente movimentam......

Voltar para Blog