topo

Postado em 26 de Abril de 2019 às 17h35

Mensageiro Seguro 997

Institucional (80)
Certa Corretora de Seguros e Certificação Digital - Chapecó/SC Certificado Digital elimina usuário e senha nas autenticações A autenticação de transação por usuário e senha está...

Certificado Digital elimina usuário e senha nas autenticações

A autenticação de transação por usuário e senha está ultrapassada e o certificado digital é a ferramenta que desponta para garantir a segurança das transações por usar multi fatores de proteção, observou o coordenador do Instituto de Tecnologia da Informação, ITI, José Gonçalves, em mesa redonda sobre o impacto da segurança da informação nos negócios das empresas e nas instituições governamentais, realizada pelo portal Convergência Digital, em parceria com a Unisys e a Dell EMC, em Brasília.
"Na transformação digital do Governo, o certificado digital é o meio para que o governo possa garantir quem está transacionando com ele. O certificado também é o meio para o cidadão ter acesso aos serviços digitalizados com a confiança digital necessária. O certificado digital embute a assinatura e a validade jurídica, mas também desempenha o papel de autenticação, o que elimina o uso de login e senha", reportou ainda Gonçalves.
Fonte: Convergência Digital

Não deixe o futuro da sua empresa na mão de terceiros


Passamos por um momento delicado em que a economia não consegue retomar o seu curso normal de crescimento fazendo com que os números alarmantes do desemprego e de fechamento de empresas se mantenham em patamares desconfortáveis.
Todos os dias somos bombardeados pelas mídias sobre dados ruins da economia e vários dos denominados “gurus” insistem em manter um pessimismo sobre o futuro. Alguns alegam que, para que a economia retome seu crescimento, serão necessárias ações políticas (ex: reforma da previdência) e todos nós acreditamos e nos colocamos na defensiva com medo de investir, contratar, inovar, deixando o tempo passar e colocando nas mãos de terceiros o futuro de nossa empresa.
Mas, será que estamos fazendo a coisa certa? Será que nós não nos acomodamos contaminados por informações ruins? Na minha opinião, sim. A crise não acabou com o dinheiro em circulação e sim, fez com que quem o detém seja mais cauteloso, exigente e criterioso na hora de gastar e é esta diferença que ainda não entendemos. A cada crise o sarrafo sobe um degrau e você e sua empresa precisam estar preparados para voos mais altos.
É fato que muitos cenários ainda parecem embaçados, mas como empresário e consultor de negócios há mais de 20 anos, posso afirmar com tranquilidade que o futuro de nossas empresas está em nossas mãos. Se a sua empresa possui um bom produto ou serviço, se deixar contaminar pelos noticiários e por pessoas negativas, é um grande erro e pode até ser fatal. Você precisa retomar o controle da sua operação se adequando a nova realidade do mercado e para isso é preciso vontade e determinação.
Para isso, observe a sua empresa de fora para dentro: experimente ligar para sua empresa como se fosse um cliente e pergunte sobre seus produtos, prazos de entrega, formas de pagamento e observe o tempo de resolução para atendimento e resolução de problemas.
Seja positivo, converse, peça opiniões, incentive a todos, passe sempre uma mensagem de profissionalismo e superação e jamais de um simples otimismo. Os otimistas morrem esperando por algo que pode não acontecer.
Gerencie seus custos: não há nada mais ineficaz do que cortar custos. Você corta hoje e eles voltam amanhã com filhotes. O que você precisa fazer é gerenciar, acompanhar seus custos identificando imediatamente grandes variações e agindo.
Em muitas ocasiões ficamos preocupados com a mosca e o elefante fica passeando na nossa frente e não vemos. Sabe porquê? Porque queremos centralizar tudo e não cuidamos de nada. Delegue, entregue responsabilidades e acompanhe.
Contrate os melhores: pessoas “mais ou menos” só podem entregar resultados “mais ou menos”. Esqueça essa muleta de que um bom profissional custa muito caro. Caro é perder clientes, pagar juros, vender mal, e principalmente ter que refazer o que já deveria estar bem feito. Bons profissionais realmente exigem investimento, mas se pagam facilmente.
Aprimore seus conhecimentos: qual foi a última vez que você participou de um curso, palestra ou congresso sobre o seu segmento? Mais de um ano? Então corra e recomece já. O mercado muda a todo instante e quem não acompanha esta mudança, dança.
Não espere apenas por ações externas para revigorar a sua empresa seja ela de que tamanho ou segmento for. Olhe para dentro da sua operação, faça tudo que estiver ao seu alcance com profissionalismo e extrema qualidade. Planeje com detalhes aonde chegar e como chegar. Em um mundo onde quase tudo virou commodities com qualidade, preço e forma de pagamento similares, será sempre o mais ágil – e não o maior ou mais antigo – que sobrevivera. Logo, ficar esperando que terceiros decidam o seu futuro não é uma opção.
Arildo, administrador e consultor -administradores.com


Instituições de ensino devem utilizar Certificado Digital para atualizar bolsas do Prouni

O Ministério da Educação publicou edital, no Diário Oficial da União, estabelecendo os procedimentos para as instituições de educação superior participantes do Programa Universidade para Todos – Prouni realizarem atualização das bolsas. O procedimento deve ser realizado digitalmente, com certificado digital no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil.
As entidades de ensino terão até o dia 3 de maio para realizar a atualização por meio do Sistema Informatizado do ProUni – SisProUni. Efetuada semestralmente, a atualização de bolsas é um procedimento obrigatório, por meio do qual as instituições de ensino confirmam o rendimento acadêmico dos bolsistas e a regularidade para usufruto das bolsas já concedidas.
O Pronui é o programa do Ministério da Educação que concede bolsas de estudo integrais e parciais de 50% em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. Fonte: ITI

Valor em risco e a importância segurada: a essência do seguro


Embora aparentemente seja um assunto corriqueiro, na verdade é a essência do seguro. Entre o planejar o seguro correto a ser adotado e a ocorrência de eventuais sinistros, a diferença entre VR e IS é de enorme importância para a qualidade do seguro.
A tendência do mercado é que as importâncias seguradas no seguro a risco total sejam automaticamente consideradas como valor de novo, porém, raramente os segurados entendem o que seja efetivamente o valor de novo dos seus bens e a importância que declaram como valor em risco. A grande maioria das seguradoras não estão nem um pouco preocupadas com essa declaração do valor em risco, só tomando a devida atenção, por esse valor declarado, quando da ocorrência de um sinistro com aplicação de rateio ou não nas indenizações. Corretores de seguro ou aceitam o valor declarado pelo cliente ou procuram alertá-lo dos problemas que podem resultar da declaração errônea de valor em risco em relação às importâncias seguradas.
Assim, nos seguros nos quais o valor em risco é obrigatório, tanto os segurados quanto os seus corretores deverão analisar a adequação das importâncias seguradas para espelharem a forma esperada da indenização, a saber:
Valor de novo: quando o segurado deseja que a indenização, pelos danos materiais sofridos por seus bens pelos eventos / acidentes cobertos pelo seguro, corresponda ao valor de bens novos, ou seja, valor da reposição mais depreciação física. Fonte: Legiscor

Vazamento de dados: de quem é a responsabilidade e como evitar?

Por Fernando Ferreira, CEO da AuditSafe

Nos últimos meses, diversos casos de vazamento de dados se tornaram notícias. A causa para o possível aumento de números de casos pode estar numa desconexão entre o avanço das ameaças e a escassez de recursos em Segurança.
Cada vez mais, o senso comum aponta o CEO como o principal responsável em garantir a segurança das informações corporativas. Faz sentido, afinal, é ele quem deveria estar sensibilizado com os riscos, perdas e prejuízos à organização e prover os recursos necessários para que os responsáveis pela SI possam fazer o trabalho da melhor maneira possível.
Dessa forma, mesmo que um incidente ocorra (já que ninguém está totalmente imune a essa nova realidade) as consequências podem ser melhores gerenciadas e os impactos menores quando se tem os recursos necessários.
Presidentes e CEOs precisam pensar na Segurança da Informação de forma estratégica, totalmente alinhada com os objetivos dos negócios. Esse alinhamento pode começar com uma Análise de Maturidade dos processos e tecnologias utilizadas pelas empresas.
É claro que um bom processo, adequadamente implementado e aprimorado continuamente, que seja corretamente configurado nas ferramentas e soluções corporativas, e que tenha pessoas qualificadas para conduzi-los, reduzem drasticamente a probabilidade e o impacto de incidentes de segurança.
No entanto, muitos executivos estão preocupados em bater metas e deixar cada vez mais as empresas com a melhor saúde financeira possível. Consequentemente, cortam custos, reduzem equipes e pouco investem em qualificação e recursos para seus profissionais.
O ideal seria que a Alta Direção criasse um Comitê de Auditoria, de modo que a Segurança da Informação seja tratada de forma correta, para que o Conselho seja sensibilizado e orientado a tomar as medidas necessárias. Tais orientações poderiam ser traçadas com a ajuda de consultorias especializadas. Fonte: AARB – Informativo semanal

Saúde
Como combater a dengue?

Estudo divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que as mudanças climáticas podem favorecer o contágio da doença tanto em períodos quentes quanto frios. O Brasil é um dos países que possui maior risco de difundi-la. “Na maior parte do território brasileiro, as condições são propícias para o desenvolvimento da dengue em praticamente o ano todo”, diz Marcelo de Paula Corrêa, professor do Instituto de Recursos Naturais da Universidade Federal de Itajubá MG. O aedes aegypti, mosquito transmissor, embora prefira a água limpa para depositar seus ovos, já está utilizando águas poluídas. E a melhor maneira de combater a enfermidade ainda é preveni-la. Para combater a dengue, mantenha baldes e garrafas com a boca virada para baixo e tampe tonéis e depósitos de água. Use inseticidas nas áreas internas e externas da casa.
Os sintomas da dengue são: febre, enjoo e mal-estar, dor no corpo, dor de cabeça, dor abdominal (intensa e contínua), vômito e cansaço extremo. Em caso de suspeita, procure atendimento médico o quanto antes. Tome líquidos e repouse. Remédios à base de paracetamol podem ser utilizados para baixar a febre. Não utilize anti-inflamatórios e analgésicos, pois podem levar a sangramentos. Fonte: Viva Saúde

Orientação segura
Deficiências

Deficiente” é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
“Louco” é quem não procura ser feliz com o que possui.
“Cego” é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
“Surdo” é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
“Mudo” é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
“Paralítico” é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
“Diabético” é quem não consegue ser doce.
“Anão” é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
“Miseráveis” são todos que não conseguem falar com Deus.
Mário Quintana

Ação Positiva

"A perfeição se alcança não quando não há nada a acrescentar, mas sim quando não há nada a suprimir." Antonie de Sant-Exupéry

Veja também

Mensageiro Seguro 101102/08/19 Seguros ganham espaço com o aumento de ataques cibernéticos No último ano, mais de 62 milhões de brasileiros foram alvos de ataques cibernéticos que resultaram em um prejuízo financeiro de 22 bilhões de dólares, segundo dados de um estudo realizado pelo Norton Cyber Security Report. Os números colocam o país como o segundo que mais perdeu,......
Mensageiro Seguro 103517/01 Ano XIV – 17/01/2020 - Edição 1.035 Publicação Semanal da Certa Administradora e Corretora de Seguros Ltda. Edição: Samara Braghini Leia nesta edição do Mensageiro......
Mensageiro Seguro 100124/05/19 Proprietário de veículo pode indicar motorista principal online com certificado digital Donos de veículos podem indicar um condutor principal ao Denatran de forma online, com a segurança e validade jurídica do......

Voltar para Blog